Blog da Casa
Teatro
 
27 de agosto de 2015, às 07h06min

CENA JOVEM APRESENTA:

 "PODE SER QUE SEJA..." TRATA DAS RELAÇÕES ENTRE INDIVÍDUOS MARGINALIZADOS PELA SOCIEDADE

 

Espetáculo da Sociedade Cênica T atualiza tema tratado em "Pode Ser Que Seja Só o Leiteiro Lá Fora", peça de Caio Fernando Abreu que aborda o contexto social-político da década de 1970. Estreia é nesta quinta-feira (amanhã), na Casa da Ribeira e vai até domingo

 

A repressão, a violência e o medo não são situações impostas apenas no contexto das ditaduras políticas. Essas sensações muitas vezes brutais estão presentes no dia a dia e em vários graus de tensão, sobretudo entre as pessoas marginalizadas. As relações entre esses indivíduos e as formas de combater e fugir dessas situações serão os temas tratados no espetáculo "Pode Ser que Seja...", da Sociedade Cênica T, que estreia nesta quinta-feira (amanhã, 27), às 20h, na Casa da Ribeira.

A peça é a terceira estreia do Edital Cena Jovem 2015, projeto da Casa da Ribeira cujo objetivo é fomentar a pesquisa e criação nas artes cênicas locais. As outras apresentações estão marcadas para os dias 28, 29 e 30 de agosto, na Casa da Ribeira. A classificação indicativa é 14 anos. O espetáculo tem ainda temporadas em setembro (03 a 06), outubro (22 a 25/ 29 a 31) e novembro (1º).

Com direção de Felipe Fagundes e atuação de Hyago Pinheiro, Joana Knobbe, Moisés Ferreira, Pedro Fasanaro e Wallace Freitas, a peça é baseada na obra "Pode ser que seja só o leiteiro lá fora" escrita em 1974 por dos grandes autores brasileiros do século XX, o escritor Caio Fernando Abreu.

A obra de Caio Fernando Abreu surge como principal referência estética para a construção da obra "Pode Ser Que Seja...", que propõe uma atualização da história sobre um grupo de jovens que se esconde em uma casa abandonada, apavorados com o estado do mundo e a possibilidade de serem caçados pela polícia, utilizando uma experiência visual-sensitiva capaz de interagir com o público.

Ao trazê-la para o contexto atual, a peça trabalha com as diversas possibilidades de criação e experimentação em teatro. A encenação também busca no Manifesto Antropofágico, escrito em 1928 por Oswald de Andrade e na Tropicália enquanto movimento artístico, as bases estéticas para composição do espetáculo.

A peça de Abreu não se preocupa em contar uma história linear-lógico-narrativa da forma como estamos acostumados, ao contrário, na metade do texto, o autor, informa ao leitor que a partir daquele momento nada mais fará sentido ao leitor e que o que vem a seguir não necessariamente estará ligado ao texto que veio antes. "O texto do Caio já pode ser encarado como uma tentativa de performativizar a escrita de textos dramatúrgicos", informa o grupo. Dessa fora, o espetáculo assumirá tanto no seu processo de criação quanto na sua apresentação as características da linguagem performativa, tais como a desconstrução da narrativa textual através da adoção da ação e da imagem ao invés da representação, a interação com os espectadores, e a assunção do risco na obra.

SOBRE O CENA JOVEM

Cena Jovem 2015 é um edital da Casa da Ribeira destinado a abrir as portas para os artistas do Rio Grande do Norte, dando-lhes suporte para reflexão, montagem de novas produções, também com foco no público consumidor. Através de prêmios em dinheiro para o fomento de espetáculos de teatro, dança e seus híbridos. Patrocinado pela Petrobras, Governo Federal e Governo do Estado, através da Lei Câmara Cascudo, o projeto contemplou, no início deste ano, prêmios no valor de R$ 30 mil para cada um dos quatro grupos selecionados - Procura-se Cia de Dança, Cia Cênica Ventura, Sociedade Cênica Trans e Cia Arte & Riso - que ganharam ainda 64 ocupações do teatro da Casa para o aperfeiçoamento da prática artística profissional, sendo os cem por cento da bilheteria dessa ocupação para os artistas envolvidos. Os ingressos são subsidiados e por isso tem valor de R$ 10,00. A temporada do Cena Jovem vai até novembro. Após "Fita-me e "Fabulosas delicadezas dos elefantes" e "Pode ser que seja", ainda vai estrear a peça "Meu nome é Zé". 

 

Sociedade T - "Pode ser que Seja"

27, 28, 29, 30 de agosto - Casa da Ribeira, 20h

03, 04, 05, 06 de setembro

22, 23, 24, 25 de outubro

29, 30, 31  de outubro e 01 de novembro

 

Diretor: Felipe Fagundes

Atuantes: Hyago Pinheiro, Joana Knobbe, Moisés Ferreira, Pedro Fasanaro, Wallace Freitas.

Diretora de Arte e Figurinista: Heloísa Sousa

Assistente de Cenários: Rayanna Guesc

Iluminadora: Camila Tiago

Preparador Corporal: Moisés Ferreira

Preparadora Vocal: Joana Knobbe

Músico: Paulo Dantas.

Produtor: Pablo Vieira

Designer Gráfico: Radamés Medeiros

Vídeos: Jean Johann

Registro Fotográfico: Helena Maziviero

Contato para entrevistas: Pablo 98877-2315

Fotos: Helena Maziviero

 

 


 
Envie seu comentário
Seu nome:*
Seu e-mail:
Mensagem:*

Veja
também:
CATEGORIAS
ACESSE TAMBÉM