Blog da Casa
Teatro
12 de junho de 2018, às 12h27min
 


"A Invenção do Nordeste" volta a Natal num único final de semana

Peça do Grupo Carmin será apresentada dias 15 e 16.06 na Casa da Ribeira antes de partir pro RJ.


Peça do Grupo Carmin inspirada no livro "A Invenção do Nordeste e Outras Artes" do Prof. Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr. faz três únicas apresentações na Casa da Ribeira dias 15 e 16/06 (dia 15/06 às 20h e dia 16/06 às 18h e 20h). As apresentações acontecem depois da passagem da peça pelo Festival Trema! Em Recife no último dia 01 e antes da ida para Juazeiro do Norte e da temporada de 3 semanas no Sesc Copacabana no RJ.


A Montagem:

Motivada por uma série de reações xenófobas contra os nordestinos, durante as eleições presidenciais de 2014, a atriz Quitéria Kelly do Grupo Carmin entrou em contato com a obra do Professor Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr, que escreveu o livro: "A Invenção do Nordeste e Outras Artes". Quitéria então compartilhou com os demais integrantes do Grupo, o seu desejo de criar uma peça que contribuísse para a desconstrução da imagem estereotipada do Nordeste e do(a) nordestino(a). Seria seu primeiro trabalho como diretora.

Durante 2 anos de pesquisa, o Grupo Carmin mergulhou nos questionamentos dos mecanismos estéticos, históricos e culturais que contribuíram para a formação de uma visão do nordeste brasileiro como um espaço idealizado, deslocado do processo histórico e imune ao impacto das grandes transformações sociais.

A partir daí, os dramaturgos Pablo Capistrano e Henrique Fontes escreveram uma autoficção onde um diretor é contratado por uma grande produtora para preparar dois atores norte-riograndenses, que disputam o papel de um personagem nordestino. Durante o tempo da preparação, a identidade nordestina entra em cheque. Afinal, existiria apenas uma identidade nordestina?

A peça "A Invenção do Nordeste" propõe desenhar a trajetória hilária e por vezes conflitante da história recente do estabelecimento da região nordeste. Essa unidade sociopolítica e cultural com todas as suas individualidades e também todos os estereótipos alimentados por décadas pela literatura, cinema, música e artes visuais brasileiras.


Sinopse:

Um diretor é contratado por uma grande produtora para realizar a missão de selecionar um ator nordestino que possa interpretar com maestria um personagem nordestino. Depois de vários testes e entrevistas, dois atores vão para a final e o diretor tem sete semanas para deixá-los prontos para o último teste. Durante as 7 semanas de preparação, os atores refletem sobre sua identidade, cultura, história pessoal e descobrem que ser e viver um personagem nordestino não é tarefa simples.



Críticas:

https://patriciojr.com.br/a-inven%C3%A7%C3%A3o-do-nordeste-combate-xenofobia-e-bairrismo-ao-mesmo-tempo-1c613adbaefd


http://www.substantivoplural.com.br/sobre-a-invencao-do-nordeste/



Ficha Técnica:

"A Invenção do Nordeste" é uma obra de auto-ficção do Grupo Carmin, baseada no livro homônimo do Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr., Dirigida por Quitéria Kelly, com dramaturgia de Henrique Fontes e Pablo Capistrano. Elenco: Henrique Fontes, Mateus Cardoso e Robson Medeiros. Cenografia de Mathieu Duvignaud, Dramaturgia audiovisual e iluminação Pedro Fiuza; trilha original: Gabriel Souto e Toni Gregório. Produção: Mariana Hardi e Quitéria Kelly.


Serviço:

"A Invenção do Nordeste" - Grupo Carmin. www.grupocarmin.com

Local: Casa da Ribeira - www.casadaribeira.com.br - Rua Frei Miguelinho, 52, Ribeira.Telefone: 3211-7710

Dias: 15/06 às 20h e 16/06 às 18h e às 20h.

Ingressos: Inteira: R$ 40,00 | Promocional (meia entrada para todos até 14 de junho na Originale Gelateria do Natal Shopping também pelo site: https://www.sympla.com.br/teatrocarmin ou na bilheteria da Casa da Ribeira - período da tarde).


Informações e contatos imprensa: 84.98734-6660



 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
23 de maio de 2018, às 18h30min
 

DESASTRO - dando luz a novos mundos.


Domingo, dia 27/05/18 às 17h, o SESC RN apresenta na Casa da Ribeira o espetáculo de Dança-teatro-música intitulado "DESASTRO". A obra do baiano Neto Machado vem a Natal pela primeira vez através do programa Palco Giratório 2018. A entrada é gratuito e os ingressos serão distribuídos a partir das 16h.
É como se os personagens de Star Wars dançassem ao som de David Bowie num episódio dos Power Rangers. Voltada, principalmente, para crianças e adolescentes, Desastro é uma coreografia neon, uma ideia de futuro inventada no passado, um universo construído a partir de um vômito de luz, tão apoteótico quanto um strobo forjado com o interruptor do quarto. Uma peça ao som de versões do hit Space Oddity de Bowie sobre um tal de Major Tom, numa viagem rumo ao desconhecido. Desastro é dança, mas não exatamente uma coreografia com passos no ritmo da música. É teatro, mas sem apego a uma história com início, meio e fim. É um concerto de rock'n roll, mas sem banda nem cantor. Desastro é o poder de dar luz a novos mundos.

-Dança
-Classificação: livre
-50 minutos

 

Ficha Técnica

Concepção e direção: Neto Machado 
Criação e performance: Bernardo Stumpf, Isaura Tupiniquim, Jorge Alencar, Jorge Oliveira, Moisés Victório e Neto Machado
Arranjo original: Yuri Alencar
Edição de som e trilha: Bernardo Stumpf
Operação de luz e Direção Técnica: Moisés Victório
Concepção de luz: Fábia Regina
Operação de som: Fábio Osório Monteiro
Figurino: Neto Machado
Direção de produção: Ellen Mello

 

Artista

Neto Machado

Salvador (BA)

Neto começou a dançar e atuar aos 09 anos porque adorava Michael Jackson. Quando criança, não perdia um capítulo de Castelo Ra-tim-bum, Vídeo Tribo e O Mundo de Beakman. Neto já morou na França, nos EUA e num castelo alemão e já apresentou em mais de 50 cidades brasileiras e 15 países. Neto é fã de David Bowie e Daft Punk e, hoje, trabalha com o que a galera chama de arte contemporânea. 

 

 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
21 de maio de 2018, às 13h07min
 

Foto Brunno Martins

Foto: Brunno Martins
Espetáculo Meu Seridó volta ao palco da Casa da Ribeira nos dias 25 e 26 de maio

 

Depois de ter estreado no palco da Casa da Ribeira, no FICA - Festival Internacional da Casa da Ribeira, o espetáculo retorna em curta temporada ao palco, e segue no desejo da realização  de circular pelo Seridó Potiguar, levando a obra ao seu lugar de origem.

 

O sertão que vibra, pulsa e faz viver. O sertão das mulheres esquecidas e das mulheres que sonham. O não lugar, como escreveu Guimarães Rosa, o sertão que é seca e água, e é também o espaço da imensidão. Com fortes questões norteadoras, o espetáculo "Meu Seridó" traz a condição da mulher no sertão, a extinção do indígena em detrimento do boi e a desertificação, na luta diária pela sobrevivência como força bruta do ser. Como o próprio autor escreveu: "A nossa história acontece em algum lugar entre a realidade, o delírio e a nostalgia".

 

Idealizado pela atriz Titina Medeiros, com direção de César Ferrario, texto de Filipe Miguez (autor da novela Cheias de Charme) e grande elenco, Meu Seridó estreou em novembro de 2017, realizando uma circulação por 8 (oito) bairros de Natal, além de uma temporada no TECESOL e sua estreia no palco no FICA (Festival Internacional da Casa da Ribeira).

 

Acompanhada pelos atores Nara Kelly, Igor Fortunato, Caio Padilha - assinando também a trilha sonora - e Marcílio Amorim, Titina fez ao lado da equipe uma árdua pesquisa histórica, conduzidos pela historiadora Leusa Araújo, através de imersões no próprio Seridó. Natural de Acari, Titina sonhou com esse espetáculo por anos, reunindo as suas vivências e coragem para retirar do próprio solo a história de vida de muitos sertanejos.

 

Para o diretor César Ferrario, a narrativa é constituída por uma linguagem de cunho popular para chegar em todas as pessoas e lugares, e tem uma estrutura que permite a montagem em ruas, fazendas, praças e diferentes paragens. "A nossa narrativa não tem um compromisso histórico. Ela tem seu início através de uma menção ao plano mítico do Seridó, onde o Sol e a Terra disputam o amor de Chuva, uma fábula muito coerente com as questões que atravessam toda a história de qualquer lugar sertanejo e seu imaginário. A partir disso, ela transita pela história do Seridó em seus espelhamentos terrenos, desde a chegada do homem andino até a vinda do vaqueiro e do português. O entrelaçamento dessas raças perpassa as histórias que vão sendo contadas ao longo do espetáculo", conta César.

 

Personagens como José de Azevedo Dantas, Pajé Cuó, o português Rodrigo de Medeiros, a Maria Paraibana e Josefa Menina são as personificações da história que transpassa o imaginário da região.

 

O projeto de circulação Meu Seridó está aprovado nas leis de incentivo e segue na busca por patrocínio para levar o espetáculo a região do Seridó. "Frequentemente agentes culturais, secretários de cultura entram em contato conosco interessados em levar o Meu Seridó pra suas cidades, mas quando se deparam com todos os custos do espetáculo (arquibancada, gerador, transporte de cenário, iluminação, sonorização, cachês), percebem que ainda é uma realidade distante pra o orçamento de uma Prefeitura de uma cidade pequena do Seridó. Vontade e desejo não faltam, mas é fundamental o patrocínio de uma empresa que acredite no potencial do nosso projeto em percorrer as 24 cidades do Seridó. Com certeza, quando tivermos um patrocinador máster, todas essas cidades serão nossas parceiras", revela Arlindo Bezerra, elaborador do projeto, junto com Titina Medeiros e Joao Paulo Isnard, que assumem a equipe de produção.

Além das três apresentações abertas ao público na Casa da Ribeira, sendo no dia 25 de maio às 20h, e no dia 26 de maio, duas sessões, às 18h e 20h. O espetáculo também será apresentado no dia 25 de maio às 16h, para a comunidade escolar, onde ainda restam algumas vagas.  "É o momento de romper as paredes da sala e invadir o teatro, podendo relacionar as disciplinas de história, sociologia, geografia, teatro, literatura, com o nosso espetáculo, além de uma conversa ao final da apresentação", encerra Titina Medeiros.  

 

SERVIÇOS - MEU SERIDÓ - TERCEIRA TEMPORADA

 

25/05 - Sexta - Casa da Ribeira - sessão às 20h.

 

*Na Sexta-feira teremos uma sessão especial às 16h voltada APENAS para comunidade escolar, com preços diferenciados. Se você é professor e quer levar sua turma para assistir ao Meu Seridó entre em contato conosco: contatocasadezoe@gmail.com, ou (84) 99100-5352.

 

26/05 - Sábado - Casa da Ribeira - sessão às 18h e às 20h.

 

Valores:

 

Antecipado (Sympla) - R$ 40,00 (inteira) | R$ 20,00* (meia)

Antecipado (Pontos de Venda: Paladar Sertanejo) - R$ 40,00 (inteira) | R$ 20,00* (meia)

Na hora - R$ 50,00 (inteira) | R$ 25,00* (meia)

 

*A meia entrada está conforme o Est./idoso/prof. - mediante o limite de 40% da lotação do teatro, de acordo com decreto nº 8.537 de 5 de outubro de 2015 que regulamenta a nova lei da meia-entrada - Lei n° 12.933/2013.

 

Vendas antecipadas na Loja Viggo (segundo piso do Shopping Midway Mall), e no Paladar Sertanejo em Mirassol.

 

CONTATO IMPRENSA

Arlindo Bezerra | contatocasadezoe@gmail.com ou (84) 99100-5352

PATROCÍNIO:

Unimed Natal

Hospital do Coração

 

APOIO:

Fast Frame Natal

Comjol

Grupo Estação de Teatro

Ginga Filmes Produções

Praieira Filmes

Poti Restaurante

Chocolateria Sandra Maia

Queijeira 504

Paladar Sertanejo

VIGGO

 

REALIZAÇÃO:

Casa de Zoé

 

PRODUÇÃO:

Casa de Zoé

Bobox Produções

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

www.facebook.com/ProdutoraCasaDeZoe

www.instagram.com/CasadeZoe

* Foto: Brunno Martins
 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
18 de fevereiro de 2018, às 23h08min
 
 FICA Natal será lançado nesta terça-feira (20) na Casa da Ribeira

A noite de lançamento é gratuita e contará com performances artísticas de mulheres e também o lançamento do curta "Merda!"

"A Feminilização do Mundo" é o tema levantado pelo Festival Internacional Casa da Ribeira Natal - FICA Natal. O evento em comemoração aos 17 anos da Casa da Ribeira, será lançado nesta terça-feira (20), às 19h30 e segue até o próximo dia 11 de março. O FICA Natal Contará com duas oficinas; performance poética, mostra internacional com 13 apresentações e show musical. A noite de lançamento é gratuita e tem como atração a poesia de escritoras e musicistas potiguares nas vozes de Clotilde Tavares e Múcia Teixeira, acompanhadas pelas musicistas Camila Pedrassoli, Rafaela Brito e Raquel Oliveira. O audiovisual potiguar também estará presente na exibição do curta metragem inédito: "Merda!", do cineasta Paulo Henrique Borges que trata do ofício de ator/atriz de teatro.

 

Para Henrique Fontes, sócio-fundador e diretor artístico da Casa da Ribeira, o evento vem com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva das artes cênicas do RN que tem enfrentado grande desafios. "Viabilizamos o FICA Natal através do edital Caixa Cultural de apoio a Festivais de Teatro. No entanto, a Casa da Ribeira vive em constante ameaça de fechamento. As pessoas que nos prestigiam encontram tudo funcionando, mas não têm ideia da ginástica econômica que fazemos para manutenção e pagamento do número mínimo de funcionários. É um paradoxo. "

 

Além da contradição entre o que oferta e suas dificuldades, o paradoxo a que se refere Fontes também é quanto à marca da Casa da Ribeira, que tem sido reconhecida como um símbolo de qualidade nos projetos até fora do Brasil, mas seus diretores nunca sabem até quando conseguirão manter as portas abertas.

"Além deste edital da Caixa, a Casa tambem ganhou, junto com o DoSol, o edital da OI para realizar o Circuito Cultural Ribeira 2018, no entanto, os editais não são para manutenção do espaço. Não há fundo de reserva para manutenção de um material técnico que precisa de constante atualização." disse Fontes.

Programação

 

O FICA Natal 2018 está dividido em duas etapas. Na primeira, que acontece entre 21/02 e 05/03, serão realizadas duas oficinas:"Espectadores no palco", destinada àquelas pessoas que desejam ter sua primeira experiência com o teatro e "Artistas na Economia" com foco nos profissionais de artes cênicas que queiram compreender melhor o planejamento de suas carreiras e a inserção no mercado da Economia Criativa.

 

A segunda etapa do evento é a Mostra Internacional de Teatro, que será realizada no período de 06 a 11 de março. Os espetáculos serão divididos em 13 apresentações. São elas:"Para não Morrer", onde a atriz Nena Inoue conta histórias reais que abordam temáticas feministas e femininas, atreladas a questões políticas, especialmente da América Latina."Bloom", de Clarissa Rego, uma performance de dança contemporânea que foi concebida na Áustria e desenvolvido no âmbito do PACAP - Edição 1, com curadoria de Patrícia Portela, promovido pelo Forum Dança. Outra peça internacional é a inglesa "Tempo Real Time" do ator e diretor Ed Bailey, uma obra de site specific, adaptada para a ocasião.

Já a atriz Adelvane Néia conta um pouco da sua trajetória de palhaça no espetáculo "Desfazendo A-MA-LA", revelando as alegrias e angústias de 20 anos de uma peça que rodou todo o Brasil. A Cia Pão Doce faz dobradinha no Festival com a estreia nacional "O Torto Andar do Outro", e a aclamada "A Casatória C'a Defunta!". A Casa de Zoé traz o sertão pulsante de "Meu Seridó". Os ingressos para todos os espetáculos já estão à venda pelo www.sympla.com.br/casadaribeira.

 

O FICA Natal é patrocinado pela Caixa e conta também com o apoio do SESC/RN, Método Supera, @Indo.Comer e todos os artistas e produtores envolvidos.

 

 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
02 de fevereiro de 2018, às 00h00min
 
COMO COMPRAR SEU INGRESSO DA MOSTRA INTERNACIONAL DO FICA NATAL

 

 

VENDAS ONLINE

 

www.sympla.com.br/casadaribeira

 

A partir do dia 06.02.2018 até às 16h do dia de cada apresentação

 

 

INGRESSOS: R$ 34,00 INTEIRA

 

                       R$ 17,00 ANTECIPADO

 

Preço promocional para todos na compra antecipada.

 

CLIENTE CAIXA PAGA MEIA ENTRADA EM TODOS OS ESPETÁCULOS.

 

 

BILHETERIA CASA DA RIBEIRA

 

De segunda a sexta das 14h às 17h e no período da mostra internacional das 16h às 21h.

 

 

Local: Casa da Ribeira

 

R. Frei Miguelinho, 52 – Ribeira, Natal/RN

 

Telefone: 3211-7710

 

Email: festivalficanatal@gmail.com

 

 

 

 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
26 de janeiro de 2018, às 21h13min
 
Casa da Ribeira comemora 17 anos de resistência e abre inscrições para Oficinas

 

 

Um dos Espaços Culturais mais resistentes de Natal está aniversariando e a data será comemorada em grande estilo. A Casa da Ribeora, com patrocínio da Caixa, irá promover o Festival Internacional Casa da Ribeira – FICA Natal, entre os dias 20 de fevereiro e 11 de março. O festival irá contar com duas oficinas; performance poética com textos de escritoras potiguares, uma mostra internacional com 13 apresentações e um show musical. O FICA Natal tem como tema “A Feminilização do Mundo”, destacando o protagonismo feminino através de obras defendidas por mulheres e homens que discutem o pensamento-ação “feminilizatório”.


As oficinas, que acontecem na primeira etapa do Festival, fazem parte da programação educativa do FICA Natal e estão divididas em: “Espectadores no palco”, destinada àquelas pessoas que desejam ter sua primeira experiência com o teatro, e “Artistas na Economia”, com foco nos profissionais de artes cênicas que queiram compreender melhor o planejamento de suas carreiras e a inserção no mercado da Economia Criativa.


As inscrições já estão abertas. Podem ser feitas AQUI. Vale salientar, que os interessados deverão preencher o questionário, que passará por uma curadoria e o resultado será divulgado no dia 15 de fevereiro no site da Casa. Os aprovados deverão contribuir com um valor simbólico de R$ 17 reais.


Vejam quem são os oficineiros e o que dizem de suas oficinas:


ESPECTATORES NO PALCO:


“ ´Espectadores no Palco´ não é uma formação de ator/atriz, mas sim um contato com a linguagem teatral de modo autêntico através do jogo teatral, pelo caminho do prazer e da descontração, mas sem esquecer que todo jogo tem sua regra.” LENILTON TEIXEIRA [Ator e diretor, presidente do Grupo Estandarte. Licenciatura em Educação artística – Habilitação em Artes Cênicas, UFRN; Especialização em Ensino de Artes – Teatro, UFRN; Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas - UFRN.]


“O componente “voz” da oficina tem o objetivo de oferecer um primeiro contato na conscientização do uso do aparelho fonador a fim de construir o gesto vocal expressivo, explorando o movimento sonoro e experimentando suas aplicações em cena.” GILMAR BEDAQUE [Bacharel em canto pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, atua como professor de música e canto. É membro fundador do grupo de canto renascentista Capella XVI e diretor musical e preparador vocal do Grupo Acorde, grupo vinculado à escola de música da UFRN.]


“E o corpo? Bom... o corpo nesta oficina poderá ser descoberto em suas possibilidades e limites, percebido como carne do mundo, escondido, vivido, vê e ser visto por outros corpos;mas, jamais ausente, desconectado do jogo teatral e de si mesmo.” ANA CLÁUDIA ALBANO VIANA [Dançarina-criadora do Grupo Nammu (Natal-RN) e preparação corporal. Foi dançarina da Gaya Dança Contemporânea, por dezoito anos, atuando em todos os espetáculos da companhia de 1990 a 2008. Graduada em Educação Física - UFRN (1998), mestrado pelo PPGArC - UFRN (2010), e atualmente, é doutoranda do PPGED – UFRN, gestora do Espaço a3, em Natal/RN.]



ARTISTAS NA ECONOMIA:


"Na oficina eu trabalharei ferramentas de planejamento e gestão de carreira para artistas que estejam começando em suas carreiras e/ou querendo organizá-las" HENRIQUE FONTES - Ator, diretor e dramaturgo, Henrique Fontes é sócio-fundador e atual Presidente e diretor artistico do Espaço Cultural Casa da Ribeira. Trabalha com economia da cultura desde 1993. Integra o Grupo Carmin desde sua formaçao em 2007. Como ator esteve em mais de 30 obras, e como dramaturgo tem 12 textos produzidos. Mestre em Ciências Sociais. Henrique vem se dedicando a pesquisar e inserir ferramentas de planejamento e gestão para grupos de teatro e artistas independentes.



O FICA Natal 2018 é uma realização da Casa da Ribeira, patrocinado pela Caixa Econômica Federal e conta também com o apoio do SESC/RN, Método Supera, @Indo.Comer e todos os artistas e produtores envolvidos.

 

 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
31 de dezembro de 2017, às 12h46min
 
Casa da Ribeira comemora 17 anos em 2018 com Festival Internacional de Teatro.

Ano terminando e antes de entrarmos num curto recesso até dia 08/01, nós da Casa da Ribeira temos o prazer de anunciar a assinatura de contrato de patrocínio da Caixa Economica Federal, através do edital: Programa de Apoio a Festivais de Teatro e Dança.

A Casa da Ribeira havia sido contemplada em junho de 2017, mas só agora chegou a confirmação do contrato. O FICA Natal (Festival Internacional Casa da Ribeira Natal) acontecerá de 20/02 a 11/03/18 com Oficinas, leituras dramáticas de textos inéditos e uma mostra de 10 espetáculos na semana de aniversário da Casa.

"A boa notícia nos deixa felizes e firmes para, ja no começo do ano, correr atrás dessa verdadeira força-tarefa que é fazer um Festival de Teatro em menos de 2 meses, mas a gente nunca fugiu dos desafios." Afirma Henrique Fontes, diretor artistico da Casa da Ribeira.

Ainda não há programação confirmada, mas existem negociações em curso com artistas de São Paulo, Paraná, Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Reino Unido.

Parece que 2018 realmente não ficará só nos murais virtuais. Definitivamente será um ano de Ocupar, Participar e Conviver.
 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
23 de agosto de 2017, às 12h22min
 
Sesc apresenta duas peças teatrais em Natal e Mossoró “Os Mequetrefe” (SP) e “Sancho Pança, o fiel escudeiro” (RN) serão levados aos palcos de Natal e Mossoró entre 23 e 28/08. Espetáculos integram 20º Palco Giratório

 

 

O consagrado projeto Palco Giratório volta à cena em sua 20ª edição no Rio Grande do Norte com dois espetáculos em agosto, um de fora e outro local. Os Mequetrefe, do grupo Parlapatões (SP), se apresenta dias 23 e 24 em Natal e dia 27 em Mossoró. Já a peça Sancho Pança, o fiel escudeiro, do grupo potiguar Tropa Trupe, será apresentada dia 25 em Natal. As classificações de ambas as comédias são livres e as entradas, gratuitas. A iniciativa cultural é do Sistema Fecomércio, por meio do Serviço Social do Comércio do Rio Grande do Norte (Sesc RN).

 

Em Os Mequetrefe, quatro palhaços que, não por acaso, se chamam Dias, vivem a jornada de um longo e divertido dia. Do despertar à hora de ir dormir, revelam como a desconstrução da lógica cotidiana pode abrir espaço para outras maneiras de encarar a vida. Vivendo situações bem comuns, esses cidadãos nada comuns provocam uma série de confusões tão hilárias quanto poéticas, sempre com um humor provocativo. O grupo Parlapatões também fará uma aula-espetáculo dia 28/08 em Mossoró.

 

Na peça Sancho Pança, o fiel escudeiro, o palhaço Piruá está internado em um manicômio por jurar ser o fiel escudeiro de Dom Quixote de la Mancha, aqueles personagens nascidos há mais de 400 anos da imaginação de Miguel de Cervantes. O espetáculo é uma co-produção da Tropa Trupe (BR) e Sin Pulgares (ARG).

 

Um grande orgulho para o estado foi ter o talento potiguar reconhecido mais uma vez pelo projeto nacional: pelo terceiro ano consecutivo, o Palco Giratório circulará por todo o Brasil com obras genuinamente papa-jerimuns. Em 2017, os selecionados foram Abrazo, do Grupo Clowns de Shakespeare, e Cinzas ao Solo, espetáculo de dança de Alexandre Américo. Juntas, as peças circularão por 50 cidades brasileiras.

 

Até novembro deste ano, o 20º Palco Giratório apresentará ainda no RN os espetáculos Cinzas ao Solo (RN), Na Esquina (MG), O quadro de todos juntos (MG) e Abrazo (RN), além de promover oficinas e pensamentos giratórios, de modo a intercambiar conhecimentos entre os artistas locais e nacionais. Já foram apresentados Ninhos (SP) e Conexão Eelefante Cultural (RN) em abril. Ao todo, 12 apresentações serão realizadas este ano em Natal, Mossoró e Caicó.

 

Sobre o Palco Giratório

 

De março até dezembro deste ano, o projeto, em edição especial de 20 anos, visitará 144 cidades em 26 estados e no Distrito Federal, com espetáculos teatrais e intercâmbios artísticos. Este ano, o Palco Giratório contará com a participação de 20 companhias, que somarão 685 apresentações artísticas e 1.188 horas de oficinas teatrais.

 

Reconhecido como uma das maiores iniciativas no segmento teatral do país, o Palco Giratório é uma rede de intercâmbio e difusão das artes cênicas consolidada no cenário cultural brasileiro. Ao longo de 19 edições, levou uma grande variedade de gêneros e linguagens artísticas para um público diversificado em 9.526 apresentações em todo o país, entre grupos de teatro de rua, circo, dança entre outras linguagens artísticas — em instalações do Sesc, praças e outros espaços urbanos.

 

Para mais informações, acesse o site do projeto: www.sesc.com.br/palcogiratorio/

 

Serviço:

 

O quê? Sesc apresenta duas peças teatrais em Natal e Mossoró

 

OS MEQUETREFE (SP) 23 de agosto | 19h | Casa da Ribeira (Rua Frei Miguelinho, 52, Ribeira, Natal) 24 de agosto | 14h | Casa da Ribeira (Natal) 27 de agosto | 17h | Teatro Dix-huit Rosado (Mossoró)

 

SANCHO PANÇA, O FIEL ESCUDEIRO (RN) 25 de agosto | 20h | Galpão Tropa Trupe (Av Campos Sales, 930 – Tirol, Natal)

 

OFICINA PALCO GIRATÓRIO Aula-espetáculo com Os Parlapatões (SP) 28 de agosto | 18 às 22h | Sala de ensaio do Teatro Dix-huit Rosado (Mossoró) | Público: a partir dos 16 anos | 100 vagas | Inscrições através do telefone do Sesc Mossoró: (84) 3316-3665 ou 99133-7867

 

Classificações indicativas das duas peças? Livres Entradas? Gratuitas (retirar o ingresso 1h antes na bilheteria)

 

 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
31 de julho de 2017, às 12h38min
 

Grupo Carmin estreia "A Invenção do Nordeste"

e lança livro "Década Carmin"

 

Dias 04, 05 e 06 de agosto de 2017 às 20h, o Grupo Carmin, de Natal/RN estreia seu novo espetáculo "A Invenção do Nordeste" e lança o livro "Década Carmin". Tudo acontecerá na Casa da Ribeira, em Natal. Os ingressos já estão sendo vendidos pelo sympla.com.br/teatrocarmin ou na bilheteria do teatro (84 3211-7710), das 13h30 às 17h30.

 

 

A PEÇA "A INVENÇÃO DO NORDESTE"

Motivada por uma série de reações xenófobas contra os nordestinos, durante as eleições presidenciais de 2014, a atriz Quitéria Kelly do Grupo Carmin entrou em contato com a obra do Professor Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr, que escreveu o livro: "A Invenção do Nordeste e Outras Artes". Quitéria compartilhou com os demais integrantes do Grupo o seu desejo de criar uma peça que contribuísse para a desconstrução da imagem estereotipada do Nordeste e do nordestino. Viria a ser seu primeiro trabalho como diretora.

Durante 2 anos de pesquisa, o Grupo Carmin mergulhou nos questionamentos dos mecanismos estéticos, históricos e culturais que contribuíram para a formação de uma visão do Nordeste brasileiro como um espaço idealizado, deslocado do processo histórico e imune ao impacto das grandes transformações sociais.

A partir daí, os dramaturgos Pablo Capistrano e Henrique Fontes escreveram uma auto-ficção, onde um diretor é contratado por uma grande produtora para preparar dois atores norte-riograndenses, que disputam o papel de um personagem nordestino. Durante o tempo da preparação, a ideia que eles têm de suas próprias  identidades entra em xeque. Afinal, existiria apenas uma identidade nordestina?

A peça "A Invenção do Nordeste" propõe desenhar a trajetória tragicômica e por vezes conflitante da história recente da região Nordeste. Essa unidade sociopolítica e cultural com todas as suas individualidades e também todos os estereótipos alimentados por décadas pela literatura, cinema, música e artes visuais brasileiras.

 

 

 

SINOPSE "A INVENÇÃO DO NORDESTE"

Um diretor é contratado por uma grande produtora audiovisual para realizar a missão de selecionar um ator nordestino que possa interpretar com maestria um personagem também nordestino. Depois de vários testes e entrevistas, dois atores vão para a fase final e o diretor tem sete semanas para deixá-los prontos para o último teste.

Durante as 7 semanas de preparação, os atores refletem (e discordam) acerca de sua identidade, cultura, história pessoal e descobrem que ser e viver um personagem nordestino não é tarefa simples.

O espetáculo é uma obra de auto-ficção, inspirado na obra homônima do Prof Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr. Dirigida por Quitéria Kelly que também assina o figurino; com dramaturgia de Henrique Fontes e Pablo Capistrano; no elenco: Robson Medeiros, Mateus Cardoso e Henrique Fontes; Assistência de direção, dramaturgia audiovisual e desenho de luz: Pedro Fiuza; Direção de Arte e cenografia: Mathieu Duvignaud; Produção executiva: Mariana Hardi; Preparação corporal: Ana Claudia Albano Viana; Preparação vocal: Gilmar Bedaque; Trilha sonora original: Gabriel Souto; Design gráfico: Teo Viana; Xilogravura: Erick Lima; Costureira: Kátia Dantas; Edição de vídeo: Juliano Barreto.

 

O LIVRO "DÉCADA CARMIN"

Em comemoração aos 10 anos do Grupo Carmin, a Fortunella Casa Editrice edita e lança o livro "Década Carmin", no final de semana de estreia da peça "A Invenção do Nordeste" (dias 04, 05 e 06/08/17). A obra é um registro da trajetória de 10 anos do Grupo Carmin através de suas 4 peças: "Pobres de Marré" (2007), "Jacy" (2013), "Por Que Paris?" (2015) e "A Invenção do Nordeste" (2017). Textos criados originalmente e assinados pelas parcerias entre Henrique Fontes, Pablo Capistrano, Iracema Macedo e James Edward Bailey.

O Livro é, coincidentemente, o 10º título da Fortunella Casa Editrice. Tem 116 páginas e fotos de cena das 4 peças, feitas por Vlademir Alexandre, Daniel Torres e Sandro Fortunato. Conta ainda com prefácio de Paulo Henrique Amorim que, após assistir a peça em São Paulo, por recomendação do Jornalista potiguar Daniel Dantas, convidou o Grupo Carmin para falar de Jacy no seu Conversa Afiada - "Jacy faz desabar uma tempestade" - desde então, virou fã declarado do Grupo. Há também no livro textos de Quitéria Kelly, Pablo Capistrano, Iracema Macedo e Henrique Fontes que falam da história do grupo e de como as peças fizeram eco à realidade social dos últimos 10 anos.

Com pré-vendas já iniciadas pelo site editorafortunella.com o livro está sendo vendido a R$ 40, mas a compra de um ingresso para qualquer dos três dias desta primeira temporada de "A Invenção do Nordeste" dá direito a 50% de desconto na compra de quantos livros forem desejados, saindo pelo valor final de R$ 20*. Durante o final de semana de lançamento/estreia, o Grupo Carmin irá autografar o livro após cada apresentação.

* Apenas no final de semana de 04, 05 e 06 de agosto de 2017 e presencialmente na Casa da Ribeira.


SERVIÇO

Estreia da peça "A Invenção do Nordeste" e lançamento do livro "Década Carmin"

Data: 04, 05 e 06 de agosto de 2017

Horário: 20h

Ingressos para a PEÇA: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (estudante/idoso/professor)*

* Mediante o limite de 40% da lotação do teatro, de acordo com decreto nº 8.537 de 5 de outubro de 2015 que regulamenta a nova Lei da Meia-Entrada - Lei n° 12.933/2013.

 

Preço do LIVRO: R$ 40 (preço regular) e R$ 20 (na compra de um ingresso da peça)*

* A compra de uma unidade de ingresso para a peça dá direito a 50% de desconto na compra do livro, independente do número de unidades. A promoção é válida apenas para o final de semana de estreia, dias 04, 05 e 06 de agosto.

 

Contato da produção:  Mariana Hardi (84 98734-6660) / teatrocarmin@gmail.com 
 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
21 de junho de 2017, às 13h52min
 

 


Jacy em Natal, no FIT e Grupo Carmin lançará livro

Antes de viajar para o Festival de S.J. do Rio Preto (FIT), Jacy será apresentada dia 08/07 em Natal.

 

A peça "Jacy" do Grupo Carmin foi selecionada para participar de um dos mais importantes Festivais Internacionais de Teatro do Brasil, o FIT Rio Preto, na cidade de São José do Rio Preto em São Paulo. Antes da viagem, o Grupo Carmin fará única apresentação de "Jacy", dia 08/07 as 19h na Casa da Ribeira, em Natal.


"Jacy", que foi eleita, pelo jornal Estado de São Paulo, uma das 10 melhores peças do Brasil em 2015 e circulou por 18 estados brasileiros em 2016, incluindo temporadas em São Paulo e no Rio de Janeiro, ganhou críticas elogiosos dos principais veículos especializados do país. (vide Crítica de Valmir Santos - Folha SP ;  Crítica de Maria Eugênia de Menezes - Estadão) e  entrevista a Paulo Henrique Amorim: Jacy no Conversa Afiada ).


"A peça já passou de 130 apresentações e permanece sendo muito requisitada. Estamos bem felizes em chegar no 4º ano de sua existencia e com todo pique.Participar do FIT Rio Preto será marcante." Disse Henrique Fontes, ator, diretor e um dos dramaturgos da obra.


"Jacy" foi criada a partir do encontro fortuito de uma frasqueira abandonada em uma das ruas mais movimentadas da cidade de Natal. Ela reconta a história real de uma mulher nascida em 1920 que na década de 1940, durante a 2ª Guerra, se apaixonou por um capitão americano em Natal; na década de 1960-70 atravessou a ditadura no coração político do Brasil e terminou seus dias, na primeira década dos anos 2000, sozinha, em Natal. A peça de teatro documental transita entre a História, a poesia e a política.


Além da apresentação no próximo dia 08/07, as vésperas de viajar pro FIT, o Grupo Carmin está há um mes da estreia de sua nova peça, intitulada: "A Invenção do Nordeste", baseada no livro homonimo do Prof. Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr. e que trata de uma investigação histórica sobre a invenção de uma identidade puramente nordestina.


"O livro de Durval é muito instigante e ele nos motivou a pesquisar esse conceito que repetimos: orgulho de ser nordestino, mas o que será que isso implica? A serviço de quem está esse rótulo." Disse Quitéria Kelly , atriz de Jacy e diretora de "A Invenção do Nordeste".


Outra empreitada do Grupo Carmin, neste ano que completa 10 anos, é o lançamento do livro que traz um pouco da história do Grupo e os textos de suas 4 peças (já incluindo A Invenção do Nordeste). O Livro está sendo editado pela Fortunella e será lançado na estreia da nova peça, em agosto.


"Será nossa primeira publicação e é uma forma das pessoas terem os textos e imagens em alta qualidade de nossas obras. Na temporada de agosto, inclusive, as primeiras pessoas que comprarem o ingresso inteiro, ganharão o livro." Disse Henrique Fontes que junto com Pablo Capistrano assina a dramaturgia das obras.


Então, para quem não viu ou quiser rever, "Jacy", faz única apresentação dia 08/07 as 19h na Casa da Ribeira.


 

Contato imprensa: 84 98150-9009 (Henrique).

SERVIÇO:

O que: JACY - Grupo Carmin

Quando: Dia 08/07/17, Sáb.  às 20h

Quanto: R$ 40,00 (inteira) e R$20,00 (meia) - PROMOÇAO: os 80 primeiros, comprando antecipado até dia 07/07, pagam (R$20,00)

Onde: Casa da Ribeira (Rua Frei Miguelinho, 52, Ribeira. Fone: 3211-7710)

Venda de ingressos: Bilheteria da Casa (3211-7710 à tarde) ou online no http://www.sympla.com.br/casadaribeira


 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
28 de março de 2017, às 13h12min
 
10 anos Carmin inicia com temporada de Jacy
Após temporada em São Paulo, o Grupo Carmin volta a Natal para celebrar sua primeira década.

Em abril de 2017, o Grupo Carmin, de Natal,RN, comemora 10 anos de existência. Para iniciar suas comemorações que contemplarão estreia da peça nova “A Invenção do Nordeste”, exposição da história do Grupo e lançamento de livro com toda sua dramaturgia, o Carmin inicia suas comemorações ocupando a Casa da Ribeira durante todos os finais de semana de Abril, apresentando sua peça mais famosa: Jacy.
Jacy, que em 2016 circulou por 18 estados brasileiros, foi eleita, pelo jornal Estado de São Paulo, um dos 10 melhores espetáculos do Brasil em 2015 e acaba de fazer temporada no Sesc Pinheiros em São Paulo, volta a Natal para sua mais longa temporada em solos potiguares: 10 apresentações durante todos os finais de semana de abril.
"A gente sabe da dificuldade de fazer temporadas longas em Natal, mas depois de ter feito 16 apresentações no Rio de Janeiro em 2016 e 15 em São Paulo em Janeiro e Fevereiro deste ano, queremos arriscar e ver se o público que vai ao teatro aumentou em Natal." Disse Quitéria Kelly, atriz e fundadora do Grupo Carmin.
A temporada recente em São Paulo rendeu críticas nos dois principais jornais da cidade: A Folha de São Paulo (Crítica de Valmir Santos - Folha SP ) e no Estado de São Paulo ( Crítica de Maria Eugênia de Menezes - Estadão) e uma entrevista empolgante a Paulo Henrique Amorim no Coversa Afiada.( Jacy no Conversa Afiada ), além de ter sido vista por figuras ilustres do teatro e da música como o diretor Antunes Filho, o ator Gero Camilo e o músico Chico César.
A peça, que completa 4 anos de estreada este ano, foi criada a partir do encontro fortuito de uma frasqueira abandonada em uma das ruas mais movimentadas da cidade de Natal. Ela reconta a história real de uma mulher nascida em 1920 que na década de 1940, durante a 2ª Guerra, se apaixonou por um capitão americano; na década de 1960-70 atravessou a ditadura no coração político do Brasil e terminou seus dias, na primeira década dos anos 2000, sozinha, em Natal.
A História de Jacy em formato de peça foi escrita pelos filósofos Iracema Macedo e Pablo Capistrano, com dramaturgia de Pablo Capistrano e Henrique Fontes, que também assina a direção em uma montagem compartilhada com a atriz Quitéria Kelly, o cineasta Pedro Fiuza e o produtor Daniel Torres. O processo de Investigação para criação da peça revelou fatos que arrepiaram seus criadores. Coincidências como o fato de Jacy ter tido seu primeiro emprego na mesma rua da Casa da Ribeira (rua Frei Miguelinho, na Ribeira). 
“O processo de criação foi surpreendente. A investigação feita, a partir dos vestígios que encontramos na frasqueira, revelaram fatos curiosos que têm ligação direta com a história de Natal e do Brasil, desde a segunda guerra mundial, passando pela ditadura militar, chegando até ao emaranhado político que manda no estado há quase um século.” Disse Henrique Fontes, diretor da peça.
“A peça é construída misturando ficção e realidade, mas sempre com base no que a gente encontrou. E tem alguns mistérios que até hoje não encontramos explicação. Tudo isso é relatado na peça e o audio-visual é usado para ampliar objetos e dúvidas,” Disse Pedro Fiuza, cineasta e operador de camera, luz e som na peça.
Um dos mistérios retratados em cena se esconde atrás de uma pilha de recibos de correspondências, referentes a encomendas mensais postadas por Jacy para um homem, no Rio de Janeiro. Estas encomendas nunca pesaram mais que 20 gramas e o seu conteúdo, ninguém sabe.
Um assunto que atravessa toda a peça é a forma como a sociedade brasileira trata os mais velhos e suas histórias. “Há uma cultura de supervalorização dos mais jovens e de descarte dos mais velhos. E o que é mais assustador é a ausência de políticas públicas efetivas para o idoso,” Disse Henrique. 
Segundo dados do censo 2010 do IBGE, a população de idosos no Nordeste, por exemplo, cresceu de 5,1% em 1991 para 7,2% em 2010. Segundo a Fundação Perseu Abramo, responsável pela pesquisa que investiga o crescimento e a qualidade de vida dos idosos no Brasil, esse crescimento saltará de 8% para 16% ao ano, nos próximos 25 anos. 
Assim, Jacy representa a vida de muitos que envelhecem e tem suas histórias jogadas, literalmente, no lixo. Ao mesmo tempo, ela relata o descaso da sociedade com os mais velhos e com o próprio destino das cidades que também envelhecem e que, em muitos aspectos, são abandonadas.
Contato imprensa: 84 98150-9009 (henrique) ou whatsap 98105-9907.
SERVIÇO:
O que: JACY – 10 Grupo Carmin 
Quando: Entre os dias 01 e 30/04, Sáb. e Dom. às 20h
Quanto: R$ 20,00 (antecipado para todos até dia 31/03 - limite de 100 ingressos por dia); R$ 40,00 (inteira). 
Onde: Casa da Ribeira (Rua Frei Miguelinho, 52, Ribeira. Fone: 3211-7710)
Venda de ingressos: Bilheteria da Casa (3211-7710 à tarde) ou online no www.sympla.com.br/casadaribeira 
 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
29 de novembro de 2016, às 12h01min
 

 

"De onde vem e para onde vai Cida?"

No dia internacional de combate a AIDS, peça retrata o tema com bom-humor e informações bem atuais.

 

 

Dentro da programação do #Acaba2016 - Programa de Fim de Ano da Casa da Ribeira, a peça "De onde vem e para onde vai Cida?" será apresentada dias 01 e 02/12 às 20h dentro das atividades do dia internacional de combate à AIDS(1°dezembro). A peça trata da AIDS com foco na doença social e utiliza os fundamentos do Teatro Épico para expurgar o irracionalismo pré-científico acerca desse ainda tão obscuro tema. Envolvendo e emocionando o público, descontruindo não sem turbulências os clássicos papéis da vítima, do algoz e do herói, provocando risos e reflexões.

 

Histórico:

Em 2015, a partir de estudos dos elementos do teatro épico em Brecht, um grupo de jovens atores investigou a temática da epidemia do vírus HIV e, consequentemente, a construção social por trás da Síndrome de imunodeficiência adquirida - AIDS. Essa "inquietação" explorada travestida em pesquisa resultou num espetáculo cujo tema, ancorado no aspecto social, buscou evidenciar e refletir sobre o inerente estado da fragilidade humana, ampliado pela ruptura da normalidade da vida causada por uma doença. Ou seja, o grupo, através das técnicas do teatro buscou responder à inquietante pergunta de como uma infecção por um vírus pode ser antes tão mais impactante socialmente do que quanto aos seus possíveis aspectos orgânicos.

O espetáculo, fruto de um experimento cênico que tratou a doença como metáfora, ganhou o nome "De onde vem e para onde vai Cida?” sendo um instigante convite para uma viagem, no qual comissários de bordo conduzem a plateia num voo rasante rumo às pulsões atávicas da vida por meio de uma poética e perturbadora discussão sobre sexo, desejos, medos, amor, doença, cura, alegrias, conceitos e preconceitos, ou seja, tudo que contagia a vida e risca de riscos a existência humana.

 “Cida” teve seu primeiro contato com o público, numa encenação em espaço aberto, no dia 1º de dezembro de 2015, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, tendo uma plateia em sua maioria formada por jovens. A partir de então, o espetáculo recebeu convite para várias apresentações no Circuito Emenda Cultural – promovido pela Pinacoteca do Estado do RN, no prédio do IPHAN/RN e no Circuito Cultural Ribeira.

“De onde vem e para onde vai Cida?” também foi selecionado para compor a agenda educativa do Curso de capacitação de profissionais de saúde para o manejo de Infecções Sexualmente Transmissíveis na Atenção Básica, promovido pelo Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva – NESC/UFRN em parceria com o Ministério da Saúde, uma vez ser uma obra artística potencializada em instrumento educacional de abordagem social, cuja característica interativa suscita enriquecedores debates e reflexões sobre a temática do HIV, tendo sido apresentado quatro vezes para um público de aproximadamente seiscentas pessoas, a maioria ligada à área da saúde e algumas da comunicação social.

 

 

Ficha técnica:

 

Elenco: Franco Fonseca , Matheus Gianinni e Naara Martins.

Dramaturgia: Franco Fonseca e Naara Martins.

Iluminação: Franco Fonseca.

Músicas: Naara Martins.

Direção: Franco Fonseca.

Apoio: Edivaldo Andrade

Duração: 45 minutos.

 

Serviço:
Data: 1 e 2 de DEZEMBRO
Horário: 20h 
Local: Casa da Riberia
(R. Frei Miguelinho, 52 - Ribeira, Natal - RN)
Duração: 45 minutos
Classificação : 14 anos

Ingressos: R$20,00 e R$10,00

Informações: 3211-7710

 

 

 

 


 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
12 de agosto de 2016, às 14h09min
 
"A Projetista" obra de Dança - Teatro de Dudude Hermann volta a Natal 

SINOPSE: Em um projeto não existe nada além de um enorme espaço vazio a ser ocupado, sua nutrição é a vontade, o desejo de existir, de voar. A Projetista transita por terrenos áridos, secos, desnutridos, muito rasos. Todos repletos e plenos de possibilidades de construção, onde só a imaginação alcança. Ela se utiliza do nada para preencher o vazio do mundo. Projeta-se no espaço um pouco mais a frente....

Concepção e interpretação, texto: Dudude, Direção: Cristiane Paoli Quito, Assistência de direção: Lydia Del Pichia,Trilha sonora: Natália Mallo

Serviço:
A PROJETISTA
Dudude Hermann (MG)
Local: CASA DA RIBEIRA
data: 14/agosto - DOMINGO
hora: 18h
ENTRADA GRATUITA (distribuição de ingressos 1h antes)
Classificação: 12 anos
 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
05 de agosto de 2016, às 18h08min
 
PALCO GIRATÓRIO SESC APRESENTA "MEU NOME É ZÉ" e "GIGANTEA"

SERVIÇO
MEU NOME É ZÉ
Cia Arte e Riso (Umarizal/RN)
CASA DA RIBEIRA
data: 09/agosto
hora: 20h
ENTRADA GRATUITA
(distribuição de ingressos 1h antes)
Classificação: 12 anos

O espetáculo “Meu nome é Zé” relata uma história conhecida de todos os cidadãos dos mais diversos recantos do país, protagonizando discursões de problemas antigos, porém, contemporâneos e universais. A história narrada, se passa em pleno pleito eleitoral, em que políticos lutam para chegar ao poder utilizando das mais diversas artimanhas, conchaves políticos, promessas enganosas, compras de votos, perseguições e mortes na busca pelo poder. De forma cômica, satírica e escrachada, a Cia. Arte e Riso faz das histórias de “Politicagem” de nossas cidades do interior um recorte do mundo. Neste trabalho, damos voz direta às figuras marginalizadas da sociedade, como o bêbado que vive nas ruas junto aos cachorros, no qual não apenas narra, mas analisa a partir de sua vida de embriaguez os fatos mostrados, nos fazendo perguntar quem realmente vive embriagado e na cegueira. A montagem tem como principais referências estéticos, a utilização de características do Teatro Épico defendendo por Bertolt de Brecht, além de elementos da cultura popular nordestina e das artes circenses.

ESPETÁCULO A GIGANTEA (formas animadas infanto-juvenil)
Serviço:
A GIGANTEA
Cia Les Trois Clés (RJ)
CASA DA RIBEIRA
DATA: 10 DE AGOSTO
HORA: 20h
ENTRADA GRATUITA
(distribuição de ingressos 1h antes)
Classificação: 12 anos

A GIGANTEA - Com o apoio da ANISTIA INTERNACIONAL (FRANÇA)
Em uma região desértica de um país imaginário, o menino Makou vive com sua mãe. Todos os dias ele sai à procura de água. Certa manhã Makou é sequestrado por um tirano, líder de um exército de seres híbridos (homens/bestas), que o recrutam à força e o transformam em um menino soldado. Começa, então, sua luta por sobrevivência e seu nomadismo. A inocência o abandona mas, em sonho, ele procura reconquistar a infância e reencontrar A Gigantea, a raiz que fornece água, o ouro azul.

10 anos - 60 minutos

A COMPANHIA
Fundada, em 2006, por Eros P. Galvão e Alejandro Nuñez Flores a companhia
Les Trois Clés (As Três Chaves), conta com quatro montagens autorais em
seu repertório: O último passeio de Buster Keaton, Macondo, La Gigantea
e Silêncio, aclamadas pela crítica e público de diferentes países.
O grupo investiga e interroga, desde suas primeiras criações, o universo e
as possibilidades de um teatro cujo principal veículo de expressão se situa
além das palavras. Sem renunciar a elas, a companhia busca construir, a partir
da linguagem corporal do ator-acrobatamarionetista, uma dramaturgia da
imagem, do movimento e da experiência visual. Em parceria com a ANISTIA
INTERNACIONAL , os espetáculos já percorreram vários países e festivais
internacionais (França, Alemanha, Romênia, Brasil, Espanha, Nova
Caledônia) numa trajetória de grande sucesso junto ao público e à critica. No mês de julho de 2015 a Cia volta do Festival de Avignon - FRANÇA, onde ganhou o Premio Especial do Juri.

 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
04 de agosto de 2016, às 09h25min
 
 IV Festival de Cenas Curtas Natal com Inscrições abertas até 20 de agosto.

 

Promovido pela Casa da Ribeira, o 4°Festival de Cenas Curtas Natal será realizado durante a Virada Cultural de Natal 2016, na noite do sábado 03 de setembro e madrugada do dia 04/09 de 2016, na Sala Cosern de Teatro, com apoio do SESC-RN e entrada gratuita.
 

o 4°Festival de Cenas Curtas Natal vai rolar entre 23h00 e 1h da manhã, com até 5 cenas que serão selecionadas a partir de uma inscrição prévia.


Muito mais que uma mostra, o Festival de Cenas Curtas deseja transformar este momento numa grande celebração entre os fazedores de Artes Cênicas de todo o estado e, como tem acontecido em anos anteriores de vários lugares do Brasil. Como já é tradição no Cenas Curtas, entre cada cena haverá a venda de bebidas e aperitivos para os espectadores dentro da sala de espetáculo, exceção feita exclusivamente para esta noite.


Para compor a programação, a comissão organizadora do Festival recebe inscrições de cenas cômicas, trágicas, com falas ou não de no mínimo 7 e no máximo 15 minutos, até às 23h59 do dia 20 de agosto. O formulário de inscrição está disponível no site da Casa da Ribeira. Os selecionados receberão ajuda de custo de R$400 por cena selecionada. Cada artista ou grupo pode inscrever quantas cenas quiser.


Acesse aqui o formulário de inscrição

 

 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
31 de maio de 2016, às 11h54min
 

Cia. dos Atores traz espetáculo e oficina a Natal

Grupo carioca encena "Conselho de Classe" e realiza oficina para estudantes da rede pública local com acessibilidade para surdos

 

Na segunda e terça (06 e 07/06), a Cia. dos Atores ocupa a Casa da Ribeira com a montagem Conselho de Classe e oficina voltada para estudantes de escolas públicas. A proposta é convidar o público de Natal a discutir a educação em cima do palco. Os ingressos para o espetáculo custam R$20 (inteira) e R$10 (meia) e a oficina tem inscrições gratuitas. A programação integra o projeto de circulação do grupo carioca que foi contemplado pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2015/2016. O espetáculo e a oficina estão percorrendo equipamentos públicos em outras quatro cidades nordestinas e contarão sempre com intérpretes, tornando todo o conteúdo acessível para surdos.

ESPETÁCULO - Com estreia em 2013, Conselho de Classe é o espetáculo comemorativo de 25 anos da Cia. dos Atores. A montagem já recebeu um Prêmio Shell (cenário), quatro Prêmios Cesgranrio (espetáculo, texto, direção e cenário), três Prêmios APTR (texto, direção e ator) e já foi vista por mais de 30 mil pessoas. Em cena, uma reunião de professores é desestabilizada pela chegada de um novo diretor. Esse encontro faz eclodir dilemas éticos e pessoais em meio a decisões que se confundem nas relações de poder da instituição escolar.

OFICINA - A ação de formação será realizada com até 30 estudantes da rede pública antes do espetáculo. Na ocasião, acontecerá o encontro do ator Marcelo Olinto (Cia dos Atores) com um ator local convidado, abordando o processo de construção do espetáculo Conselho de Classe, seus métodos e referências para criação. Às 20h, os participantes inscritos também apreciarão o espetáculo gratuitamente e, ao final, participarão de um debate sobre a peça.

A CIA. DOS ATORES - A Cia. dos Atores é formada atualmente por Cesar Augusto, Gustavo Gasparani, Marcelo Olinto, Marcelo Valle e Susana Ribeiro e continua investindo em uma das principais características do grupo ao longo destes 28 anos - o encontro com outros artistas e companhias de teatro - criando espetáculos a partir dessas novas articulações. O processo colaborativo, a provocação estética e o diálogo com o tempo presente são marcas da Cia. dos Atores que perpassam o espetáculo, buscando traçar novas possibilidades para o estar junto: no teatro e no mundo.

ACESSIBILIDADE - O projeto de circulação na região Nordeste terá acessibilidade para surdos, através de dois intérpretes de LIBRAS que serão contratados nas cidades, de forma a estimular a contratação de mão de obra especializada local. Todo material de divulgação citará o espetáculo como acessível para surdos, além de incluir o Símbolo Acessível em Libras.

 

SERVIÇO

 

Onde: Casa da Ribeira - Rua Frei Miguelinho, Ribeira, Natal.
Quando:07/06 (terça-feira), das 15h às 18h (oficina) e 06 e 07/06 (segunda e terça-feira), às 20h (espetáculo)
Quanto: R$20 (inteira) e R$10 (meia) para o espetáculo e inscrições gratuitas para a oficina

 

ESPETÁCULO TEATRAL CONSELHO DE CLASSE

 

Gênero: comédia política
Classificação: 12 anos
Duração: 70 minutos
Texto: Jô Bilac
Direção: Bel Garcia e Susana Ribeiro
Elenco: Cesar Augusto, João Rodrigo Ostrower, Leonardo Netto, Marcelo Olinto e Thierry Trémouroux
Cenário: Aurora dos Campos
Realização: Cia. dos Atores e Nevaxca Produções

 

 

 

OFICINA DA CIA DOS ATORES
- Inscrição gratuita através do e-mail ciadosatores@nevaxca.com.br.
Para se inscrever, basta enviar currículo e foto.

 

 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
26 de maio de 2016, às 17h34min
 
OCUPE A CASA COM SUAS IDEIAS - PREÇOS PROMOCIONAIS PARA JUNHO E JULHO

A Casa da Ribeira tem um ambiente confortável, climatizado e com serviços dedicados ao seu show, espetáculo, seminários, treinamentos e eventos.


Um dos melhores equipamentos de som e luz da cidade, bilheteria com ingressos impressos, equipe de montagem, projetor, telão e divulgação. Tudo isso num espaço charmoso de um casarão histórico de 1911, totalmente revitalizado.


PROMOÇÃO
Preços para pautas nos meses de Junho e Julho
de terça à quinta: R$1.000,00
de sexta à domingo: R$1.250,00


Venha nos fazer uma visita. Agende seu horário de atendimento!

pelo (84) 3211-7710 (à tarde) ou pelo email: casadaribeiranatal@gmail.com
 

Casa da Ribeira - Arte como Prazer

 

 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
25 de março de 2016, às 17h33min
 
JACY em única apresentação dia 02 de abril na Casa da Ribeira
Peça do Grupo Carmin será apresentada em única sessão para comemorar  09 anos do Grupo.

Uma frasqueira encontrada no lixo contendo vestígios de vida de uma mulher de 90 anos.

Este fato real levou o grupo Carmin (www.grupocarmin.com) a conduzir uma investigação que durou 3 anos e que, em agosto de 2013, resultou na peça de teatro documental intitulada: JACY.

Durante 1 hora de espetáculo, o grupo revela o processo dessa investigação e convida a plateia para acompanhar a vida de uma mulher comum que atravessou a 2a Guerra mundial e a ditadura no Brasil, esteve no centro de um importante conflito da política no RN, viveu um amor estrangeiro e terminou os seus dias sozinha em Natal.

Com textos dos filósofos Pablo Capistrano e Iracema Macedo, Jacy é uma peça cômico-trágica que revela fatos sobre o abandono dos idosos, a política e o crescimento desenfreados das cidades que, por muitas vezes, ignoramos.

Jacy acaba de chegar de um temporada de 1 mes no Sesc Copacabana, no Rio de Janeiro e já está de malas prontas para participar do projeto Palco Giratório do Sesc Nacional. A peça ja participou de importantes festivais, como o 21° Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga – CE; a Mostra Internacional João Pessoa Encena – PB (MIT); o Festival O Mundo Inteiro é um palco – Ano II – Natal/RN; o Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia (FIAC); a VII Mostra de Teatro Contramão (RJ); o Festival Internacional de Teatro Cena Contemporânea de Brasília; a X Mostra Latino Americana de Teatro de Grupo (SP).

O GRUPO

 O Grupo Teatro Carmin surgiu em abril de 2007 com a peça Pobres de Marré, portanto comemora 09 anos com esta apresentação. Firmou pesquisa sobre exclusão social urbana no Nordeste brasileiro e circulou por mais de 20 festivais e mostras pelo Brasil e na França. Em 2009, montou O Auto do Menino Deus. Em 2010, realizou o experimento Olha a Água, a partir da obra A Alma Boa de Setsuan , de Brecht. Em 2011 montou a peça para crianças Castelo de Lençóis, baseada em contos universais de realeza. Em 2013, estreou Jacy, iniciando a pesquisa de linguagem sobre teatro documental. Em 2015 montou a peça "Por Que Paris? A partir da obra de Marguerite Duras. Em 2017, estreará "A invenção do Nordeste" criada a partir da obra homonima do historiador Durval Muniz jr.


SERVIÇO

Peça : JACY
Data : 02 de abril de 2016
Hora : 20h
Ingresso: R$30,00 e 15,00 (meia-entrada limitada a 40% da capacidade de acordo com decreto nº 8.537 de 5 de outubro de 2015  )
Reservas: 3211-7710
 
 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
08 de dezembro de 2015, às 14h59min
 

Por Que Paris? - Política e Ficção

Reflexões sobre Arte, Política e os Atentados em Paris.

Domingo, dia 13/12/15 às 17h na Casa da Ribeira - Entrada Gratuita

 

O filósofo Hegel escreveu que "ninguém pode ir além do seu próprio tempo". E o nosso tempo nos lança, a cada momento, novos desafios. Mudanças climáticas, crise econômica, instabilidade política, terrorismo. A arte não permanece imune a essas questões. Elas muitas vezes interrompem como fenômenos intrusivos o horizonte da prática teatral. Foi nesse contexto que o grupo Carmin, em pleno processo de montagem de sua peça Por Que Paris? Foi tomado de assalto pelos atentados contra a redação do Charlie Hebdo em Janeiro deste ano.

 

Este susto fez emergir questões como: os limites entre tolerância e liberdade artística; as fronteiras envolvendo ficção e realidade; a urgência de tratar de temas do nosso tempo e a "função" do teatro do grupo no meio disso tudo.

 

Essas questões passaram a traçar os roteiros estéticos do grupo. Com os atentados do último dia 13 de Novembro (antecipados esteticamente no âmbito da dramaturgia ficcional do grupo) esses temas voltam à pauta (e ao palco) instigando novas provocações e questionamentos. A pergunta fundamental volta a ordem do dia: Por Que Paris?

 

Assim, movido por essa nova urgência, o Grupo Carmin convida o público, seu principal parceiro, para no dia 13/12 às 17h (exatamente um mês depois dos atentados), participar de um bate-papo no Café da Casa da Ribeira, sobre essas questões.

 

A programação constará de dois momentos:

1 - Fala do filósofo Pablo Capistrano sobre Arte, Política, os Atentados de Paris e suas influências na montagem de "Por Que Paris?" do Grupo Carmin.

 

2 - Fala do Cineasta Pedro Fiuza sobre as escolhas estéticas e conflitos acerca do uso do Cinema no Teatro, baseado na experiência de montagem da Peça "Por Que Paris?"

 

Tudo será conduzido de maneira informal e sempre aberto ao diálogo e intervenção do público presente. A entrada é gratuita limitada a capacidade do local.

 

Informações e Contatos: Henrique Fontes - (84)9 8150-9009. / 84 9 9917-4879

 

 


 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
07 de dezembro de 2015, às 06h45min
 

CAMARIM - Nos Bastidores da Música

Com Dudu Galvão, Camila Masiso e Lysia Condé

13 de Dezembro - 19h30 - Casa da Ribeira

 

 Mas o que acontece por trás das cortinas? Aquele momento em que se prepara para estar perfeito em cena esconde verdadeiros conflitos que se refletem no espelho da penteadeira, que se camufla na maquiagem do rosto, mas que escapam no silêncio de um olhar marcado pelo lápis preto e rímel.

Depois do sucesso de duas curtas temporadas com lotação máxima no Barracão Clowns, o espetáculo CAMARIM - Nos Bastidores da Música resolve se despedir de 2015 com mais uma última apresentação em grande estilo na Casa da Ribeira, no próximo domingo, 13 de dezembro, e ninguém pode perder essa chance, pois o musical pretende entrar em circulação por aí e vai demorar a voltar aos palcos potiguares.

 

"Camarim" é um show dramático-musical que conta a história de três irmãos unidos e separados pela música. A relação das três personagens é escancarada por melodias especialmente escolhidas pelo tom dramático que vão se desenrolando no decorrer do espetáculo e cada um dos três apresenta um caminho escolhido e vivido dentro da música: a mais velha de todas, Carmem (Lysia Condé), a diva que já se consagrou como grande cantora, embora ainda sinta falta de "algo mais" e que está caindo no esquecimento; Edite (Camila Masiso) que, ao contrário da irmã, está despontando como revelação da música no país, de personalidade perfeitinha e monótona, que sente medo de ser engolida pelo mercado, e por fim, a ovelha-negra Louis (Dudu Galvão), dono uma voz poderosa, que foi moldada pelos padrões norte-americanos e que, por isso, não cabe no cenário musical popular brasileiro. A música é o carro-chefe dessa trama que desemboca no espectador trazendo a experiência teatral à baila, com grandes canções conhecidas pelo público, num repertório que vai de Chico Buarque, passeia por Edith Piaf e Ney Matogrosso, com pinceladas de Carmem Miranda, e até Madonna e Beyoncé.
 

 

 

A ideia de fazer esse espetáculo nasceu do encontro desses três artistas após um convite feito pela Banda CantoCalismo em 2013, onde eles fizeram backing vocals. As vozes que nunca haviam trabalhado juntas se casaram de uma forma muito especial e não podia parar por ali. Na verdade, esse trabalho também é uma verdadeira celebração desse encontro. A direção musical é de Marco França, que divide os arranjos com o multi instrumentista Diogo Guanabara, acompanhados dessa vez de Kleber Moreira, com sua incrível percussão. Os três formam a banda que acompanha a história executando as canções ao vivo! A iluminação e cenografia é de Ronaldo Costa, engenharia de som de Isack Rangel.

 

 


O universo das três figuras é permeado pela energia desses grandes intérpretes e grandes divas da música brasileira e universal, num espetáculo despretensioso que se propõe em abrir espaço para a música se valer do teatro para ganhar novos tons de expressividade, e para o teatro se valer da música para ganhar nuances de leveza e sensibilidade, oferecendo ao espectador uma experiência artística da melhor qualidade. Convidamos a todos a se deleitarem com esse encontro lindo e pungente, onde abriremos nossos bastidores para nos divertir e falar sobre escolhas, família, amor e música.
 

 

 

SERVIÇO
Espetáculo: "Camarim - Nos Bastidores da Música" (Com Camila Masiso, Dudu Galvão e Lysia Condé)

 

DIA 13 DE DEZEMBRO de 2015

CASA DA RIBEIRA ÀS 19h30.

INGRESSOS
R$30,00 (inteira), R$15,00 (meia)

Informações e Reservas: 84 98826-7879 ou 3211-7710
 
(0) Comentário(s)
 
 1  2  Próximo »
Veja
também:
CATEGORIAS
ACESSE TAMBÉM