Blog da Casa
Teatro
10 de setembro de 2015, às 15h32min
 

CENA JOVEM 2015

 COMÉDIA "MEU NOME É ZÉ" FAZ SÁTIRA COM O LADO SOMBRIO DA POLÍTICA

 

Cia Arte e Riso, de Umarizal-RN, mescla cultura popular e Bertold Brecht em novo espetáculo que marca a última estreia do projeto Cena Jovem.

 

Sessões: sábado (19) e domingo (20)  - 20h, na Casa da Ribeira.


A luta pelo poder, a corrupção e a politicagem enraizada nas entranhas das pequenas cidades brasileiras é algo digno de tragédia, mas também tem um lado pitoresco e, por que não dizer, cômico. Em novo espetáculo "Meu Nome é Zé", a Cia de Teatro Arte e Riso, de Umarizal-RN, escolheu o caminho da sátira para fazer um recorte universal do cotidiano interiorano, a partir das velhas formas de se fazer política nos rincões do País. O resultado pode ser visto a partir desta quinta (10) e sexta-feira (11), às 15h, na Casa da Ribeira, e dias 12 (sábado) e 13 (domingo), às 20h. A temporada retorna de 17 a 20 de setembro, às 20h, encerrando em novembro com as temporadas de 5 a 8 e de 12 a 15.

"Meu Nome é Zé" é um dos quatro espetáculos contemplados no projeto Cena Jovem 2015, edital patrocinado pela Petrobras e Lei Câmara Cascudo, com objetivo de fomentar a pesquisa e criação nas artes cênicas locais.

Reflexão e boas doses de humor escrachado ganham aprumo crítico no texto de Joelson de Souto e na direção do encenador Emanuel Coringa - que também atua na peça. A montagem busca, como referências estéticas, o teatro épico de Bertold de Brecht e elementos da cultura popular nordestina,e insere neste caldeirão as artes circenses, que são parte do desenvolvimento estético do grupo.

"Meu nome é Zé" relata uma história conhecida de todos os cidadãos dos mais diversos recantos do país, revelando a atemporalidade das discussões. "Tratamos de problemas antigos, porém universais", lembra o encenador. A história se passa em pleno pleito eleitoral, onde políticos lutam para chegar ao poder utilizando das mais diversas artimanhas, conchaves políticos, promessas enganosas, compra de votos, perseguições e até ações extremas, como a morte, tudo isso na busca pelo poder.

"Neste trabalho damos voz direta às figuras marginalizadas da sociedade, como o bêbado que divide a rua com os cachorros, que não apenas narra, mas analisa a partir de sua vida de embriaguez os fatos mostrados, fazendo-nos perguntar quem realmente vive embriagado e na cegueira", detalha o autor.

O espetáculo traz no elenco os atores Emanuel Coringa, Gardênia Lopes, Jardeu Amorim, Joelson de Souto, Leonardo Alves, Victor Miranda e Widenny Duarte. Também integram a equipe desta montagem os profissionais Joelson de Souto, responsável pela musicalização e também pela seleção de canções, ao lado de Junio Santos e Ray Lima. Os figurinos são de Cleydson Catarina e a iluminação de Thaennia Ferreira. A concepção cenográfica teve construção da Arte e Riso em parceria com Cleydson Catarina; e a arte cenográfica ficou a cargo de Noel Filho e Andrade, com fotografia de Ricardo Pereira.


SERVIÇO

Temporada de "Meu nome é Zé"

Espetáculo da Cia Arte e Riso,

Dias 19 e 20/09 às 20h
Ingresso: R$10,00
 

Contato para entrevistas: Emanuel Coringa 99441-5347


Assessoria de Imprensa Cena Jovem

Fato Novo Comunicação

Dionísio Outeda

99974 3839

98820 8769

 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
27 de agosto de 2015, às 07h06min
 

CENA JOVEM APRESENTA:

 "PODE SER QUE SEJA..." TRATA DAS RELAÇÕES ENTRE INDIVÍDUOS MARGINALIZADOS PELA SOCIEDADE

 

Espetáculo da Sociedade Cênica T atualiza tema tratado em "Pode Ser Que Seja Só o Leiteiro Lá Fora", peça de Caio Fernando Abreu que aborda o contexto social-político da década de 1970. Estreia é nesta quinta-feira (amanhã), na Casa da Ribeira e vai até domingo

 

A repressão, a violência e o medo não são situações impostas apenas no contexto das ditaduras políticas. Essas sensações muitas vezes brutais estão presentes no dia a dia e em vários graus de tensão, sobretudo entre as pessoas marginalizadas. As relações entre esses indivíduos e as formas de combater e fugir dessas situações serão os temas tratados no espetáculo "Pode Ser que Seja...", da Sociedade Cênica T, que estreia nesta quinta-feira (amanhã, 27), às 20h, na Casa da Ribeira.

A peça é a terceira estreia do Edital Cena Jovem 2015, projeto da Casa da Ribeira cujo objetivo é fomentar a pesquisa e criação nas artes cênicas locais. As outras apresentações estão marcadas para os dias 28, 29 e 30 de agosto, na Casa da Ribeira. A classificação indicativa é 14 anos. O espetáculo tem ainda temporadas em setembro (03 a 06), outubro (22 a 25/ 29 a 31) e novembro (1º).

Com direção de Felipe Fagundes e atuação de Hyago Pinheiro, Joana Knobbe, Moisés Ferreira, Pedro Fasanaro e Wallace Freitas, a peça é baseada na obra "Pode ser que seja só o leiteiro lá fora" escrita em 1974 por dos grandes autores brasileiros do século XX, o escritor Caio Fernando Abreu.

A obra de Caio Fernando Abreu surge como principal referência estética para a construção da obra "Pode Ser Que Seja...", que propõe uma atualização da história sobre um grupo de jovens que se esconde em uma casa abandonada, apavorados com o estado do mundo e a possibilidade de serem caçados pela polícia, utilizando uma experiência visual-sensitiva capaz de interagir com o público.

Ao trazê-la para o contexto atual, a peça trabalha com as diversas possibilidades de criação e experimentação em teatro. A encenação também busca no Manifesto Antropofágico, escrito em 1928 por Oswald de Andrade e na Tropicália enquanto movimento artístico, as bases estéticas para composição do espetáculo.

A peça de Abreu não se preocupa em contar uma história linear-lógico-narrativa da forma como estamos acostumados, ao contrário, na metade do texto, o autor, informa ao leitor que a partir daquele momento nada mais fará sentido ao leitor e que o que vem a seguir não necessariamente estará ligado ao texto que veio antes. "O texto do Caio já pode ser encarado como uma tentativa de performativizar a escrita de textos dramatúrgicos", informa o grupo. Dessa fora, o espetáculo assumirá tanto no seu processo de criação quanto na sua apresentação as características da linguagem performativa, tais como a desconstrução da narrativa textual através da adoção da ação e da imagem ao invés da representação, a interação com os espectadores, e a assunção do risco na obra.

SOBRE O CENA JOVEM

Cena Jovem 2015 é um edital da Casa da Ribeira destinado a abrir as portas para os artistas do Rio Grande do Norte, dando-lhes suporte para reflexão, montagem de novas produções, também com foco no público consumidor. Através de prêmios em dinheiro para o fomento de espetáculos de teatro, dança e seus híbridos. Patrocinado pela Petrobras, Governo Federal e Governo do Estado, através da Lei Câmara Cascudo, o projeto contemplou, no início deste ano, prêmios no valor de R$ 30 mil para cada um dos quatro grupos selecionados - Procura-se Cia de Dança, Cia Cênica Ventura, Sociedade Cênica Trans e Cia Arte & Riso - que ganharam ainda 64 ocupações do teatro da Casa para o aperfeiçoamento da prática artística profissional, sendo os cem por cento da bilheteria dessa ocupação para os artistas envolvidos. Os ingressos são subsidiados e por isso tem valor de R$ 10,00. A temporada do Cena Jovem vai até novembro. Após "Fita-me e "Fabulosas delicadezas dos elefantes" e "Pode ser que seja", ainda vai estrear a peça "Meu nome é Zé". 

 

Sociedade T - "Pode ser que Seja"

27, 28, 29, 30 de agosto - Casa da Ribeira, 20h

03, 04, 05, 06 de setembro

22, 23, 24, 25 de outubro

29, 30, 31  de outubro e 01 de novembro

 

Diretor: Felipe Fagundes

Atuantes: Hyago Pinheiro, Joana Knobbe, Moisés Ferreira, Pedro Fasanaro, Wallace Freitas.

Diretora de Arte e Figurinista: Heloísa Sousa

Assistente de Cenários: Rayanna Guesc

Iluminadora: Camila Tiago

Preparador Corporal: Moisés Ferreira

Preparadora Vocal: Joana Knobbe

Músico: Paulo Dantas.

Produtor: Pablo Vieira

Designer Gráfico: Radamés Medeiros

Vídeos: Jean Johann

Registro Fotográfico: Helena Maziviero

Contato para entrevistas: Pablo 98877-2315

Fotos: Helena Maziviero

 

 


 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
15 de agosto de 2015, às 11h00min
 
BORDERLINE - S.E.M. Cia de Teatro (Sentimento, Estéticas e Movimento) 
Comemoração de 02 anos do Espetáculo Borderline. Após 02 anos de sua estreia, acumulando prêmios e circulando pelos estados brasileiros, o monólogo estrelado pelo ator José Neto Barbosa retorna aos palcos potiguares em única apresentação.

Sobre o Espetáculo:
Borderline tem autoria e direção de Junior Dalberto. Fala das questões do íntimo, em paralelo as relações familiares, com redes sociais e consequências na geração dos anos 90. É inspirado artisticamente no não tão popular "transtorno de personalidade limítrofe", conhecido como borderline. Rutras conta fatos de sua vida, expressa seus sentimentos e memórias numa verdadeira hemorragia emocional, preso ao que chama de "concha" - um hospital psiquiátrico ou sua própria mente em devaneio. Expressa um olhar radical e metafórico sobre sua criação e suas referências. Passa por desencontros e acontecimentos marcantes. Rutras é fruto de uma geração carimbada por imposições individualistas, consumistas, exibicionistas e de camisinhas rasgadas. O que é lucidez ou loucura em tempos de imposições éticas e morais nessa cosmopolitividade que se vive? Tudo é contado em momentos de surtos, sem omissão de detalhes - em um monólogo emocionante, diante de tabus ininterruptos, minimalista e altamente visceral. 

Serviço:


ESPETÁCULO: BORDERLINE - S.E.M. Cia de Teatro (Sentimento, Estéticas e Movimento)

DATA: 19/08/2015 - QUARTA FEIRA

HORÁRIO: Horários: 19h - Mostra de ações formativas, 20h - sessão única do espetáculo

INGRESSO: R$ 15,00 PROMOCIONAL - Vendas antecipadas:www.eventick.com.br/borderline



 
(0) Comentário(s)
 
Teatro
03 de julho de 2015, às 06h47min
 
Torta de Maçã estreia dia 08/07 na Casa da Ribeira
Espetáculo da Cia Torta convida o público pra colocar a mão na massa.

 

A peça “Torta de Maçã” marca a estreia da Cia Torta nos dias 08 e 09 de Julho de 2015 às 19h30, na Casa da Ribeira em Natal/RN. A peça conta a história de um menino de 8 anos que apanhava do pai por ter trejeitos femininos; as surras eram corretivos para que o menino aprendesse a ser “homem”. O tema amargo é compartilhado com a plateia, de no máximo 30 pessoas, de uma forma doce: todos ajudam o personagem a fazer tortas de Maçã.
Mas qual a relação da Torta de Maçã com essa história de violência?

 

Escrita e interpretada pelo ator João Victor Miranda em parceria com o diretor Henrique Fontes, que também assina a direção do espetáculo, “Torta de Maçã” parte da tragédia real do menino Alex, morto em 2014 pelo pai no Rio de Janeiro e encontra relação com o clássico “Branca de Neve” dos irmãos Grimm.

 

“Tanto a Branca de neve quanto o menino Alex sofrem com o desprezo familiar e encaram a vida de forma positiva. Eles tem coração puro e adoram ajudar nas tarefas. Claro que, no clássico, o final é feliz, o que, sabemos, não foi o destino do menino Alex.” Disse João Victor, ator da Cia Torta.

 

A peça foi patrocinada pelo edital FIC 2014 da Prefeitura Municipal do Natal, através da Fundação Cultural Capitania das Artes - FUNCARTE e estreia nos dias 08 e 09 de Julho de 2015 no Espaço Cultural Casa da Ribeira, as 19h30. O limite de publico é de 30 pessoas por seção e os ingressos gratuitos serão distribuídos uma hora antes do inicio do espetáculo.

 

A Companhia:

 

A Cia Torta nasce do desejo de experimentar a junção de teatro e gastronomia em um único espaço de convivência. Essa mistura se deu devido à pesquisa abordada pelo ator e cozinheiro João Victor Miranda que trabalhou em algumas companhias de teatro da cidade do Natal/RN e em alguns restaurantes da cidade também. Juntar o sabor, o cheiro e o visual; elementos marcantes dentro do mundo gastronômico e misturar com os elementos teatrais provocando uma nova experiência para o publico é algo que a Cia Torta busca experimentar neste primeiro trabalho.

 

Contato: João Victor - 84 98815-7798

 

 

 
(0) Comentário(s)
 
« Anterior  1  2  3 
CATEGORIAS
ACESSE TAMBÉM